domingo, 26 de agosto de 2007

Onde é que eu já vi este filme?

Dois jogos, dois empates. Não é um começo auspicioso para o Benfica. E menos auspicioso fica quando verificamos que um dos empates foi em casa e outro em terreno neutro, com as duas equipas recém promovidas à Liga. Os quase 53 000 espectadores que ontem se deslocaram à Luz mereciam ter visto mais e melhor.

Quanto ao jogo de ontem posso dizer que foi mais uma desilusão. A defender estivemos bastante bem, sem dar erros e a dar pouca margem de manobra à equipa visitante. Já a atacar não se pode dizer o mesmo, na medida em que o Vitória soube fechar os caminhos para a baliza de Nílson e cometer faltas onde e quando eram necessárias. Analisando o jogo, podemos verificar que Camacho rompeu com a táctica usada por Fernando Santos, o 4x4x2 losango, passando a apostar na táctica que melhores resultados trouxe ao Benfica nos últimos 10 anos, o 4x2x3x1. O problema é que não se pode pedir a Camacho que faça a "omeleta" sem os "ovos", ou seja, não se pode jogar naquela táctica quando não se tem dois bons médios alas, como eram, por exemplo, Simão e Geovanni. Para a esquerda temos jogadores a mais (Fábio Coentrão, Freddy Adu, Di Maria), enquanto para a direita não temos nenhum, a não ser que a boa vontade de Bergessio ajude, se bem que aquela não é a sua posição natural. Daí que a contratação de um bom médio ala direito seja urgente.

O Benfica não consegui entrar no jogo a dominar. Aliás, nos primeiros 15 minutos, foi o Vitória que teve mais posse de bola. Depois, aos poucos, o Benfica foi recuperando e tomando conta do jogo. A defender estivemos bem, mas a atacar pareceu-me haver sempre alguma precipitação. Falta claramente alguém que pegue o jogo pelas alas de forma mas esclarecida. Nuno Assis e Fábio Coentrão não estiveram em bom plano, se bem que o segundo esteve melhor que o primeiro. Depois, mais à frente, com a entrada de Luís Filipe, o Benfica também não melhorou nada no que respeita às alas. Na minha opinião, tanto o "25" como o "2" não são jogadores que sirvam para o Benfica. Quem fez um grande jogo foi Petit, com uma entrega fabulosa, correu seguramente uns bons 10 km. Rui Costa, hoje em tarefas mais defensivas não teve tanta liberdade para atacar, se bem que os momentos mais perigosos tiveram assinatura do maestro. Nuno Gomes, mais atrás, e Cardozo mais à frente tiveram algumas boas oportunidades para inaugurar o marcador, mas estiveram ambos muito abaixo do que lhes é exigido. Quem esteve muito bem, tanto a atacar como a defender, foram os laterias, Nélson e Léo. O luso-cabo-verdiano parece ter agarrado o lugar de vez e até "calou" algumas bocas que o vinham a assobiar desde a época passada devido à grande exibição que rubricou ontem. Já para o lateral brasileiro foi mais um jogo "normal" jogando com a qualidade e entrega a que já habituou os Benfiquistas. Katsouranis e Quim também estiveram bem e Bergessio teve falta de tempo.


Mas quem mais se destacou ontem foi o júnior Miguel Vítor. Se estava nervoso disfarçou-o na perfeição. Parecia o Ricardo Carvalho: bem a defender, praticamente sem cometer faltas e seguríssimo a atacar. Quase marcava um golo a meio da primeira parte. Seria o coroar de uma exibição fantástica. Quem o ajudou bastante foi também o público: sempre que tocava na bola, fazia um passe ou um corte era aplaudido por todo o estádio. Romeu Ribeiro foi a segunda surpresa que Camacho reservou para a noite. Entrou na segunda parte para substituir Nuno Gomes, e jogou a um excelente nível como médio defensivo.

Esta foi a grande diferença da era "Santos" para a era "Camacho". A garra transmitida e a coragem para lançar os jovens. Com Fernando Santos eles nunca sairiam do banco... ou da bancada.

O árbitro do jogo, Lucílio Baptista, não teve influência no resultado, mas fez a típica arbitragem à portuguesa. "Não se marcam faltas a favor do Benfica à entrada da área, mesmo se os adversários utilizarem as mãos para se apoiarem nos ombros do Cardozo para saltarem mais alto e conseguírem ganhar lances de cabeça." É o futebol que temos.

Repito: empatar com o Vitória na Luz não é bom resultado para quem quer ganhar o campeonato, mas devo dizer que os minhotos têm uma boa equipa, muito organizada e com um excelente treinador. Podem vir a ser a revelação deste campeonato.

Ficha de jogo

Bwin Liga - 2ª jornada
Estádio da Luz, Lisboa
Árbitro: Lucílio Baptista (AF Setúbal)
Assistência: 52 464 espectadores

SL Benfica

Quim; Nélson, Miguel Vítor, Katsouranis e Léo; Petit e Rui Costa; Nuno Assis, Nuno Gomes (cap) (Romeu Ribeiro, 69 min) e Fábio Coentrão (Luís Filipe, 71 min); Cardozo (Bergessio, 80 min)
Suplentes não utilizados: Butt, Miguelito, Andrés Diaz e Freddy Adu
Treinador: José António Camacho

Vitória SC

Nilson; Andrezinho, Danilo (Moreno, 74 min), Geromel e Sereno; Flávio Meireles (cap), João Alves e Fajardo; Carlitos (Desmarets, 63 min), Alan (Ghilas, 54 min) e Mrdakovic
Suplentes não utilizados: Nuno Santos, Radanovic, Luciano Amaral e Felipe
Treinador: Manuel Cajuda


Disciplina: Cartão amarelo a Miguel Vítor (84 min); Fajardo (77 min) e Sereno (83 min)

Melhor em campo: Nélson

Nenhum comentário:

Sobre o Blog

De um benfiquista para os benfiquistas. Este é um blog para todos os que, diariamente vivem e respiram Benfica. Viva o Sport Lisboa e Benfica!

Visitantes



  © Free Blogger Templates Columnus by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP